Plantonistas da Polícia Civil que trabalham na Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp) de Jaru não estão de acordo com o sistema de atendimento ao cidadão devido a falta de uma sala adequada para registro de ocorrências.

Segundo os plantonistas, há falta de privacidade às pessoas que vão registrar as ocorrências policiais devido a mesa do escrivão ser no mesmo saguão onde funciona a sala de espera.

“Notamos que o cidadão que vem denunciar um crime, fica constrangido com a presença de outras pessoas, uma vez que as cadeiras de espera ficam no mesmo ambiente, próximo à mesa do plantonista”, declarou um plantonista.

“Como que uma mulher consegue contar tudo o que aconteceu num caso de violência doméstica ou abuso sexual com outras pessoas ouvindo?”, explicou outra servidora.

“Nós também ficamos expostos nos plantões noturnos, pois a frente do prédio é toda de vidro e não oferece segurança aos plantonistas em caso de um possível ataque de criminosos”, frisou outro policial civil.

Outra cobrança dos servidores daquela Unisp é em relação a contratação de um zelador para fazer a limpeza do prédio. Desde que foi inaugurada, a Unisp de Jaru ainda não teve um servidor para trabalhar nessa função devido à burocracia no processo de licitação para contratação de uma empresa de limpeza.

“Agora que uma apenada está vindo duas vezes por semana realizar a limpeza da Unisp, mas ainda não é o adequado para oferecer um atendimento digno aos cidadãos que buscam atendimento nesta unidade”, revelou uma plantonista.

Fonte: Anoticiamais

Autor: Flávio Afonso

  

 

Comentarios

Comentarios

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here