O tribunal correcional de Bruxelas condenou a 20 anos de prisão Salah Abdeslam, o único suspeito sobrevivente dos ataques terroristas de Paris, por tentativa de homicídio durante um tiroteio em Forest, na Bélgica, em 2016.

O cúmplice de Abdeslam, o tunisiano Sofiane Ayari, também foi condenado. Nenhum deles foi ao tribunal para a leitura da sentença nesta segunda-feira (23).

Abdeslam está detido na França à espera de julgamento pelos ataques de novembre de 2015, em Paris, em que morreram mais de 130 pessoas.

O tiroteio que motivou esse julgamento ocorreu em 15 de março de 2016, em Forest, quando investigadores franceses e belgas foram surpreendidos por tiros durante uma operação de rotina em um dos abrigos de uma célula terrorista.

Três policiais ficaram feridos e um jihadista de origem argelina, de 35 anos, Mohamed Belkaid, morreu ao enfrentar os agentes para encobrir a fuga de Abdeslam e de Sofiane Ayari. Abdeslam e Ayari foram presos três dias depois em Molenbeek, que é um bairro de Bruxelas.

O francês de 28 anos e de origem marroquina, que cresceu e se radicalizou em Molenbeek, fazia parte de uma célula jihadista envolvida em ao menos três grandes operações terroristas nos últimos anos ligadas ao Estado Islâmico: os atentados de 13 de novembro de 2015 em Paris (130 mortos), os de 22 de março de 2016 que atingiram o aeroporto e metrô de Bruxelas (32 mortos) e o fracassado ataque em um trem entre Amsterdã e Paris em agosto de 2015.

Comentarios

Comentarios

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here