Uma proprietária de um posto de combustíveis recebeu voz de prisão na manhã desta quinta-feira (24) por contravenção contra a economia popular, em Ji-Paraná (RO), cidade situada a cerca de 370 quilômetros de Porto Velho. Segundo a Polícia Civil, a proprietária foi presa, mas o posto permaneceu aberto para manter o atendimento por causa da necessidade da população. Com a greve dos caminhoneiros, poucos postos da cidade ainda têm combustível.

Um dos postos na cidade aumentou o valor da gasolina na tarde de quarta-feira, que antes estava em R$4,50, para R$5,99 sem nenhuma justificativa. Usuários divulgaram imagens dos cupons fiscais em redes sociais denunciando o crime.

O delegado de Polícia Civil, Julio Cesar Rios, explica que a polícia civil não recebeu nenhuma denúncia oficializada, mas, com as publicações de clientes nas redes sociais, na manhã desta quinta-feira (24), uma equipe da polícia esteve no local e constatou que havia um abuso no preço da gasolina que era vendida no posto.

Posto de Ji-Paraná estava cobrança R% 5,99 pelo litro da gasolina comum (Foto: Reprodução/ Facebook)

O delegado explica que o aumento do preço do produto sem justificativa, em casos onde há uma grande necessidade da população, se caracteriza como crime de acordo com a Lei nº 1521 de 1951. De acordo com a Lei, o crime tem penas de detenção, de seis meses a dois anos, ou multa.

A proprietária recebeu voz de prisão e baixou o valor do combustível. O posto permaneceu aberto para que o atendimento à população não fosse interrompido. A suspeita e as vítimas devem ser ouvidas na Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp).

Comentarios

Comentarios