Quando o mar briga com a praia, quem leva porrada é caranguejo

Quando o mar briga com a praia, quem leva porrada é caranguejo

by -
0 167

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) se sentiu lesado em sua honra porque seu colega de parlamento, Ivo Cassol (PP-RO), lhe dirigiu acusações gravíssimas durante uma manifestação pública em que se declarou contrário à Reforma da Previdência.

Para o ex-governador, antes de sacrificar direitos dos trabalhadores, o governo tinha que cobrar empresas que devem impostos e acusou a empresa da família Gurgacz por sonegação.

“Hoje a Eucatur não dá nota fiscal. Só um papelzinho que não serve nem para limpar a bunda. Eu desafio qualquer um de vocês. Vão lá na Eucatur despachar uma encomenda para Porto Velho. Você não vai receber nota fiscal, só um papel que não tem valor fiscal nenhum”, disse o senador.

O que chocou a imprensa rondoniense é que Acir decidiu responsabilizar o site Tudo Rondônia, que como outros, divulgou o fato.

Ao invés de cobrar o autor das alegadas ofensas, o pretenso candidato ao governo do estado avançou contra o jornalista Rubens Coutinho e com a intenção de tirar o site do ar pelo tempo em que a notícia esteve no ar.

É flagrante a tentativa de cerceamento da liberdade de imprensa e estarrecedora, porque a família Gurgacz é dona de um conglomerado de comunicação em Rondônia.

É também curioso que seus assessores jurídicos não o tenham alertado pra isso. Corre à boca graúda que ninguém quer mexer com Cassol. Ao processar o jornalista ao invés do autor das alegadas ofensas, fica claro também que nem mesmo Acir quer comprar briga com ele.

O dano moral, se comprovado, pode custar 25 mil reais ao jornalista e a suspensão temporária do site.

“Imagine bater no carteiro, porque não gostou da encomenda?”, perguntou o jornalista nas redes sociais.

Um estudo feito pelo Sindicado dos Procuradores da Fazenda Nacional classificou as 32.224 empresas que mais devem a previdência no país e a Eucatur aparece junto a gigantes como Bradesco, Caixa Econômica Federal, Marfrig, JBS e Vale. Leia mais no link: https://www.cartacapital.com.br/economia/reforma-da-previdencia-ignora-426-bilhoes-devidos-por-empresas-ao-inss

A dívida de empresas com o INSS é o triplo do déficit anual calculado pelo governo e isso foi amplamente divulgado na imprensa nacional.

NO COMMENTS

Leave a Reply